O amor
que tu
me tinhas
era pouco
e se acabou.
Ciranda.  
Traga-me uma xícara de açúcar pra adoçar essa vida.
Johnny.  
Lave esse rosto e acorde pra vida.
Johnny. 
Na mulher interessante a beleza é secundária, irrelevante e até mesmo desnecessária. A beleza morre nos primeiros quinze dias, num insuportável tédio visual. Era preciso que alguém fosse de mulher em mulher anunciando: ser bonita não interessa, seja interessante.
Tati Bernardi.   
Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.
Charlie Chaplin.
O texto é belo, o sentimento não.

Por detrás de um texto triste, há uma moça mais triste ainda. Um sentimento sujo e doloroso. O texto é bonito e as palavras também, mas do que tudo isso adiante, se eu só sinto dor e mais dor? Sinto a falta e a melancolia. Careço de palavras ardentes em meio a madrugada. O texto é belo, e eu não. O texto é belo e o sentimento me parte o coração. 

Júlia Ogaia.

Era curioso, eu pensava, como as coisas se fazem. Apenas um dia de cada vez, dia após dia, e então, lá estava. Num certo sentido, eu me sentia como se ainda não tivesse escrito o argumento. Não escreveu, diria um crítico, enquanto não perceber o ruim e o óbvio em seu texto. Mas qual era a diferença entre um crítico de cinema e um espectador de cinema? Resposta: o crítico não precisa pagar.
Charles Bukowski. 
No fim, devemos sempre fazer aquilo que acreditamos ser certo, mesmo que seja difícil.
A Última Música. 
Os livros amam qualquer um que os abra.
Coração de Tinta.  
Sozinho em casa em uma sexta-feira, deitado no chão pensando em um velho amor. Ou na falta de um.
John Mayer.